Jejum intermitente

Responsive image

Tenho observado um aumento nas publicações científicas sobre o jejum intermitente. Sim, há embasamento científico! Um dos últimos estudos, inclusive, observou indivíduos religiosos que praticam o Ramadan, mês em que os muçulmanos permanecem em jejum por 12 horas todos os dias.

Por conta dos benefícios apresentados, escolhi trazer o tema para essa coluna.

Mas, afinal, o que é o jejum intermitente?

É uma estratégia que reduz ou exclui a alimentação por um período de tempo que pode variar entre 12, 16 ou 24 horas, podendo ser aplicada entre uma a três vezes por semana.

 

É indicado para pessoas…

– com sobrepeso e obesidade;

– com resistência à insulina e alguns casos de diabetes;

– com polimorfismos genéticos relacionados à obesidade;

– que querem melhorar a performance cerebral;

– que buscam longevidade.

 

Não é indicado para pessoas…

– com compulsão alimentar;

– ansiosas;

– que tomam medicamentos para diabetes;

– que têm colesterol alto por alteração genética.

 

E quais são os benefícios?

Diversos estudos indicam que o jejum intermitente…

– promove mudanças metabólicas e melhora a performance cerebral;

– altera hormônios e genes envolvidos na saciedade;

– eleva os níveis de GH, hormônio de crescimento, o que pode ajudar na queima de gordura;

– pode auxiliar na perda de peso, quando bem aplicado;

– acelera o metabolismo, desde que feito por um curto período (a longo prazo pode deixar o metabolismo mais lento);

– diminui a resistência à insulina;

– traz longevidade.

 

As evidências sugerem que ficar alguns períodos em jejum é algo benéfico para o corpo, mas vale lembrar, que cada caso deve ser olhado individualmente. Não é só porque mostrou resultados positivos em alguns estudos, que deva ser aplicado por todo mundo.

 

É essencial descobrir se o jejum se aplica ao seu caso. Se sim, o ideal é fazer uma adaptação e um preparo para o jejum. De nada adianta parar de comer repentinamente para compensar tudo na próxima refeição. Caso esse não seja o melhor método para você, há outras formas interessantes de perder peso.

 

Estou sempre em busca de novos estudos e pesquisas. Se eu tiver mais novidades, informo vocês!

 

Até a próxima,

 

Karina